Rastreio por FIT

O cancro colorretal (CCR) é um dos cancros mais frequentemente diagnosticados. As boas notícias são que a incidência e a mortalidade do CCR podem ser significativamente reduzidas em caso de deteção precoce.

Os testes imuno-histoquímicos fecais (faecal immunochemical tests, FIT) são não invasivos e podem detetar sangue invisível a olho nu nas fezes. Dada a sua simplicidade, os FIT são atualmente considerados a melhor opção não invasiva para rastreio do CCR.

Invista um bocadinho de tempo na sua própria saúde realizando o FIT para prevenir ou detetar precocemente o cancro do cólon. Para mais informação, visite a nossa página de internet “FIT no rastreio” www.fitscreening.eu/patients

  • GROWING YOUR KNOWLEDGE
    GROWING YOUR KNOWLEDGE
  • DEVELOPING YOUR SKILLS
    DEVELOPING YOUR SKILLS
  • HARVESTING EXPERTISE
    HARVESTING EXPERTISE

Equivalente de hemoglobina dos reticulócitos (Reticulocyte haemoglobin equivalent – RET-He)

O que é o equivalente de hemoglobina dos reticulócitos (Reticulocyte haemoglobin equivalent – RET-He)?


A medição do teor de hemoglobina dos reticulócitos, RET-He, ou equivalente de hemoglobina dos reticulócitos, é uma forma de diagnosticar e monitorizar a anemia ferropénica. Os eritrócitos têm um tempo de vida de 120 dias. Como tal, a deteção de carências de ferro e alterações dos estados de ferro da eritropoiese utilizando os parâmetros hematológicos clássicos, tais como hemoglobina, volume corpuscular médio (VCM), hemoglobina corpuscular média (HCM) ou por medição dos eritrócitos hipocrómicos (%Hypo-He) é apenas possível numa fase relativamente tardia.

Os reticulócitos, percursores dos eritrócitos maduros, são arrastados pela corrente sanguínea a partir da medula óssea, amadurecendo habitualmente em cerca de dois dias. A medição do número de reticulócitos é portanto um parâmetro rápido da "quantidade" de eritropoiese na medula. A medição do teor de hemoglobina dos reticulócitos significa que pode avaliar-se o aporte atual de ferro à eritropoiese e aferir-se a "qualidade" das células. Isto permite-lhe detetar alterações no estado do ferro de forma muito mais precoce do que através do teor de hemoglobina dos eritrócitos maduros.

Os marcadores bioquímicos convencionais para a avaliação do estado do ferro, tais como ferro sérico, transferrina ou ferritina, encontram-se alterados de forma tão drástica, por exemplo durante a inflamação da resposta de fase aguda, mas também na presença de tantas outras doenças severas, que a interpretação clínica dos seus resultados é muito difícil, ou mesmo impossível.

Portanto, enquanto, por exemplo, níveis baixos de ferritina, indicam inequivocamente uma carência de ferro, níveis normais ou elevados não permitem tirar quaisquer conclusões em relação à biodisponibilidade do ferro. Na presença de doenças crónicas, como a artrite reumatoide, ou de lesão hepática, tumores ou doença renal crónica, a ferritina pode também estar elevada em caso de carência funcional de ferro. Numa carência funcional de ferro, as reservas de ferro encontram-se cheias, mas a libertação de ferro para a corrente sanguínea não é suficiente e o mesmo não se encontra biodisponível para a eritropoiese. Por outro lado, a medição do teor de hemoglobina dos reticulócitos como avaliação direta do ferro utilizado realmente na biossíntese da hemoglobina pode ser indicativa de se a quantidade de ferro disponível para a eritropoiese é suficiente, mesmo nestes casos. Permite-lhe obter uma fotografia da "qualidade" da eritropoiese e é uma ferramenta importante no diagnóstico e monitorização das doenças com carência de ferro.

Quando deve utilizar o RET-He?

A anemia é um sintoma comum de várias doenças e uma das perturbações dos eritrócitos mais subestimadas. Como tal, conhecer o estado eritropoiético de um doente pode ser essencial. Muitos dos nossos analisadores oferecem o parâmetro RET-He - o equivalente de hemoglobina dos reticulócitos. É muitas vezes utilizado em doentes com perturbações nefrológicas (renais), uma vez que estes sofrem frequentemente de anemia em paralelo. A inclusão de doentes do serviço de nefrologia, ou de doentes de centros e consultas de diálise na análise é, assim, especialmente importante.

O RET-He é importante em doentes com anemia por doença crónica (ADC). Qualquer doente com um processo inflamatório crónico, infeção crónica, ou doença maligna pode desenvolver ADC.

Também terá benefícios em doentes com anemia ferropénica. A anemia ferropénica é muito prevalente e subdiagnosticada, podendo ser encontrada em vários tipos de doentes. Alguns doentes pediátricos são vulneráveis ao desenvolvimento de uma anemia ferropénica devida à fase de crescimento.

Benefícios

A utilidade clínica do parâmetro RET-He foi demonstrada e este parâmetro encontra-se agora estabelecido na análise hematológica avançada. O "teor de hemoglobina dos reticulócitos" é recomendado nas orientações de nefrologia tais como European Best Practice Guidelines (EBPG) e National Kidney Foundation Kidney Disease Outcome Quality Initiative (NKF KDOQI).

RET-He:

  • Indica a tendência do estado de ferro atual.
  • Em conjunto, o RET-He e o número de reticulócitos permitem aos médicos tirar conclusões sobre a qualidade e quantidade da fração dos eritrócitos jovens.
  • É um marcador precoce de doença - mais cedo que os marcadores de bioquímica clínica!
  • Rápido e económico!

Utilização do RET-He

O RET-He faculta por si só informação sobre a biodisponibilidade atual do ferro - um valor baixo é indicador de carência de ferro, ou de o ferro não se encontrar biodisponível para a eritropoiese. É usado frequentemente em conjunto com a ferritina - um valor elevado ou normal de ferritina acompanhado por um valor baixo de RET-He é sugestivo de uma carência funcional de ferro, ao passo que, valores baixos de ferritina e RET-He indicam uma carência clássica de ferro. Uma vez que a ferritina se encontra falsamente aumentada durante a fase aguda das doenças, a presença de inflamação deve ser confirmada, por exemplo, através da PCR.

O intervalo de referência do RET-He é de aproximadamente 28-35 pg [~1,77-2,22 fmol]; um valor abaixo de 28 pg [1,77 fmol] é considerado uma carência de ferro.

O RET-He é utilizado para monitorizar a eritropoietina (EPO) e/ou terapia endovenosa com ferro. Caso o valor aumente, isto é sugestivo de um efeito positivo do tratamento.

Contagem de granulócitos
imaturos (IG)

Fração de plaquetas
imaturas (IPF)

Eritrócitos nucleados
(NRBC)

Granulação de
neutrófilos (NEUT-SSC)

Eritrócitos hipo-hemoglobinisados
e eritrócitos hiper-hemoglobinisados
(%HYPO-He, %HYPER-He)

As populações de eritrócitos
microcíticos e macrocíticos
(%MicroR, %MacroR)

Eritrócitos
fragmentados (FRC)

O nosso Glossário

Lista alfabética de termos científicos

Explore o nosso glossário
Growing your knowledge
Visite a nossa Academia
Aumente o seu conhecimento
Desfrute do nosso centro multimédia
Tudo
  • Tudo
  • Documentos
  • Podcast
  • Imagens
  • Vídeos
Veja o vídeo
Consulte a nossa coleção